DASH*Em Foco

CAMPANHA COMPARTILHE POSTIVIDADE

A nossa campanha #compartilhepositividade nasceu da vontade de disseminar conteúdos positivos preparados por convidados inspiradores para dizer: Vamos passar por tudo isso juntos!

Conheça o Phillip, nosso quinto convidado da Campanha #CompartilhePositividade. Phillip Martins é diretor na empresa IDEIAS EM MOVIMENTO que atua nas áreas de comunicação, eventos, projetos especiais e relacionamento estratégico.

Phillip Martins fotografado por Victor Schwaner.

“Demorará um tempo pra rotina voltar a ser como antes. Isso se ela voltar, já que o momento atual aponta para transformações em todas as áreas.
Mas calma! Crises não duram para sempre! O importante é ficar atento aos sinais e movimentos que podem nos mostrar novas oportunidades.

Quando a pandemia se instalou, em março, assustei. Tinha a impressão de que os dias custavam a passar, principalmente porque, no meu ramo de atuação, relações públicas, o volume de trabalho diminuiu bastante. Naqueles dias, o mercado se silenciou; não se falava nem mesmo no planejamento acerca daquilo que poderia vir pela frente; tudo era muito incerto. Diante daquilo, silenciei-me também, para entender melhor o que estava acontecendo.

Procurei colocar em dia meus assuntos pessoais, cuidando, por exemplo, mais de minha saúde e alimentação, comecei a cozinhar em casa, embora não entenda tanto de gastronomia, e, como resultado disso, passei a me alimentar melhor e ainda controlei a ansiedade causada pela diminuição do ritmo de vida a que eu estava acostumado.
Também faxinei meu armário e gavetas, retirando deles roupas, sapatos, bolsas, papeis e documentos que não eram mais utilizados e lotavam meu pouco espaço disponível.

Mas, o principal de tudo foi cuidar do meu coração e da minha mente. Erroneamente, todos nós amamos estar no controle e fantasiamos que somos os capitães do nosso destino, mestres da nossa sorte. De fato, somos capazes de controlar partes significantes das nossas vidas. Monitoramos o aquecimento e a segurança de nossas casas pelo tablet; movimentamos dinheiro ao redor do mundo através dos aplicativos; podemos até mesmo “dominar” nosso estado mental e emocional com
treinamentos específicos e meditação, para obtenção de estabilidade e foco, não é mesmo?

Contudo, esse poder de controle é uma ilusão, uma bolha que o coronavírus estourou, revelando que na realidade não controlamos nada.
Tenho aprendido algumas coisas com esses dias reflexivos. Sinto que vamos entrar em uma quarentena de consumo, que vai impactar culturalmente, influenciando no surgimento de novo padrão de comportamento. Por isso, seremos obrigados a encontrar formas inovadoras de comunicar e retransmitir as informações. 

Essa ruptura repentina, que nos priva da autonomia de decisões que antes estavam sob nosso controle e diminui a velocidade das ações para outro ritmo, é de fato assustadora. Não estávamos acostumados a levar a vida e a nossa rotina sem pressa, a esperar por respostas e buscar soluções no ritmo como devem ser verdadeiramente. Penso, então, que as habilidades de improvisação e criatividade vão se tornar os ativos mais valorizados nesse novo mundo que começa a surgir embaixo dos nossos olhos.

Bom, vou indo. Então, quero te dizer que essa não é somente uma crise econômica mundial, mas uma crise que romperá pensamentos. É como se uma página em branco nos fosse dada para um novo recomeço, pois muitas empresas, processos e dinheiro serão eliminados dentro do conceito de desaceleração.

Reinventar, reestruturar, redirecionar e reiniciar exigirá muita percepção, coragem e audácia para construir uma nova economia com outros valores e formas de lidar em todas as esferas. Essa quarentena está nos ensinando o quão fraco somos como seres humanos; por isso, cuidemos uns dos outros e da nossa mente.

Fique em paz porque tudo vai se ajeitar da melhor maneira.”

Abraços e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.