DASH*Inspirações

Série: Os Vestidos que Revolucionaram o Mundo

Olá leitores! Como estão? Estamos super animados de anunciar a nova série que vamos começar aqui no blog sobre – Os vestidos que Revolucionaram o Mundo. Inspirações e referências retiradas do livro MUSEUM, Design “Cinquenta Vestidos Que Mudaram o Mundo”.

A seleção de vestidos nesse livro é “uma introdução ao caminho  que a moda percorreu no último século”. Esses são vestidos que causaram um impacto social, político, econômico e da postura adotada em relação a sexualidade e gênero.

  • VESTIDO DELPHOS PLISSADO – 1915

O começo do século XX foi uma época de muitas mudanças sociais, ocasionadas pelo acúmulo de conhecimento científico, evolução tecnológica e questionamentos culturais. Em 1909, o costureiro espanhol Mariano Fortuny patenteou um método de plissamento de seda que lhe permitiu produzir vestidos românticos e flutuantes que rapidamente se tornaram uma obsessão da elite artística europeia. 

  • VESTIDO MELINDROSA- 1926

Os cabelos curtinhos, vestidos tubinho e canelas de fora tornaram-se o uniforme das mulheres jovens, modernas e emancipadas em meados da década de 1920. O vestido melindrosa foi uma libertação física que derrubava a tirania do espartilho e, na prática, reduzia o tempo que se levava para vestir. O traje também refletia mudança social, na medida em que uma nova geração de mulheres de classe média desafiava as repressões de gênero e classe do passado. Os tons neutros de Coco Chanel foram os pioneiros do estilo melindrosa. 

  • VESTIDO DE DEUSA – 1931

A catástrofe da Primeira Guerra Mundial trouxe uma radical reavaliação de gênero, classe e criatividade. Havia uma liberdade no ar que permitiu a alguns romper com as convenções e explorar novos horizontes. A estilista francesa Madeleine Vionnet buscou na Grécia Antiga uma maneira de libertar as mulheres do aperto dos espartilhos e dos enchimentos. Os vestidos de corte enviesado de Vionnet fizeram com que o tecido flutuasse livremente pelo corpo, realçando as curvas naturais e acentuado – embora não moldasse – as formas femininas. As mulheres estavam livres para expressar uma feminilidade mais suave. 

  • VESTIDO DE NOIVA DE WALLIS SIMPSON – 1937

A socialite americana Wallis Simpson se casou, em 193, vestida com um simples vestido longo e um casaquinho de mangas compridas; tudo em “azul Wallis”, uma cor desenvolvida especialmente para combinar com os olhos dela. Criado por Mainbocher, estilista estadunidense, esse discreto vestido e tornaria um dos mais copiados de todos os tempos. O casamento foi o auge do escândalo do século. O amor obstinado do duque de Windsor pela mulher divorciada, o forçara a abdicar do trono britânico no ano anterior, provocando uma crise constitucional que abalou as estruturas do establishment britânico. 

  • O NEW LOOK – 1947

Das ruínas da Europa após a Segunda Guerra Mundial, o New Look veio como uma explosão de otimismo que ressuscitou a indústria da Alta Costura parisiense e delineou uma estética de renovação econômica e social para a década que se seguiu. Esse fenômeno da moda foi lançado pelo estilista francês Christian Dior em 1947. Resistiu bem a durante a década de 1950 e definiu uma nova era de irreverência, versatilidade e esperança. A crença de Dior era de que naquele momento o público estava mais do que pronto para adotar um estilo moderno, luxuoso e otimista que iria acabar com a mentalidade de reaproveitamento de escombros da guerra. O caimento suave nos ombros, a cintura fina e o volume elegante de uma saia rodada eram exatamente o que as femme-fleur de Dior queriam. 

 

Eaí pessoal? O que acharam dessa nova série? Vocês conheciam alguns desses fatos? Animados para a próxima postagem?

Join the discussion

  1. Pingback: VESTIDOS QUE REVOLUCIONARAM O MUNDO - Dash Uniformes DASH*Inspirações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.