DASH*Inspirações

SÉRIE: VESTIDOS QUE REVOLUCIONARAM O MUNDO 2

Olá leitores! Como estão? Esse é o segundo post da nossa série aqui no blog sobre – Os vestidos que Revolucionaram o Mundo. Inspirações e referências retiradas do livro MUSEUM, Design “Cinquenta Vestidos Que Mudaram o Mundo”

  • Vestido Rosa Choque

Elsa Schiaparelli (1890-1973) foi uma das mais renomadas vanguardistas da moda no período que antecedeu a Segunda Gerra Mundial. Rival de Coco Chanel, ela fez seu nome desenhando roupas que eram expressões fantásticas de ideias extravagantes. Mesmo com toda sua inclinação artística, suas inovações na área técnica também eram inúmeras. Ela foi pioneira no uso de zíperes e ombreiras, e suas roupas de esporte deram às mulheres liberdade física para competir profissionalmente. Ela também é famosa por seu uso de cores brilhantes e berrantes.

  • Vestido da Coroação da rainha Elizabeth II

“Glorioso” foi a palavra que a rainha britânica Elizabeth II teria usado para descrever o vestido de sua coroação quando o experimentou pouco antes do grande dia, em 1953. Desenhado pelo modista real Norman Hartnell (1901-1979), o vestido deslumbrou os milhões de pessoas em todo mundo que se reuniram em frente aos aparelhos de televisão e nos cinemas para assistir à nova rainha caminhar pelo corredor da Abadia de Westminster. 

  • Vestido de Marilyn Moroe

A gloriosa cena em que o vestido branco frente unica de Marilyn Monroe é levantado pelo vento que saía de um respiradouro de metrô fez de William Travilla (profissionalmente conhecido simplesmente como “Travilla”, 1920-1990) um catalisador da criação de um ícone. Seu nome vai ser sempre ofuscado pela estrela que ele vestiu, mas  poder da visão de tirar o fôlego que ele ajudou a conjurar nunca vai desaparecer. A cena clássica de Marilyn com o vestido frente única que se levanta provocativamente na cena de “O pecado mora ao lado“.

  • Terninho Chanel 

Apesar de não ser propriamente um vestido, o terninho Chanel tem de ser incluído neste post, por todo impacto revolucionário que teve, não apenas sobre como as mulheres se vestiam, mas também sobre como elas eram percebidas no mundo do trabalho. Coco Chanel (1883 – 1971) se destacou pela primeira vez na época da Primeira Guerra Mundial, quando seus modelos simples e elegantes, feitos por meio de engenhosa alfaiataria, permitiram que as mulheres se desprendessem dos trajes pesados e extravagantes da Belle Èpoque e, finalmente, se vestisse, para si mesmas – para seu próprio conforto e prazer. Foi a genialidade de Chanel que ajudou a criar o look das melindrosas – as mulheres livres e boêmias dos anos 1920. 

  • Pretinho Básico

O “pretinho básico” tornou-se um estilo por direito próprio: um vestido simples, chique e versátil que é presença obrigatória em qualquer guarda-roupa. Introduzido por Coco Chanel (1883-1971) e reinterpretado por praticamente todos os estilistas subsequentes, sua versão mais notável é a usada por Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo (1961), desenhada pelo estilista aristocrata francês Hubert Givenchy (1927-). A premissa por trás do pretinho básico é a de que ele pode ser usado em diversas ocasiões, em qualquer estação – um vestido clássico e atemporal.

Uma ótima segunda-feira para todos e uma semana repleta de realizações!

Abraços e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.